O BATISMO DO SENHOR

“Batizado o Senhor, os céus se abriram e o Espírito Santo pairou sobre ele sob forma de pomba. E a voz do Pai se fez ouvir: Este é o meu filho muito amado, nele está todo o meu amor!” Mt 3,16s

 

ORAÇÃO DO DIA

Deus eterno e todo-poderoso, que, sendo Cristo batizado no Jordão e pairando sobre ele o Espírito Santo, o Declaraste solenemente vosso Filho, concedei aos vossos filhos adotivos, renascidos da água e do Espírito Santo, perseverar constantemente em vosso amor. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. (Oração das Horas)

 

Leituras da liturgia eucarística: Is 42,1-4.6-7; Sl 28; At 10,34-38; Mc 1,7-11

 

EVANGELHO: Mc 1,7-11

Naquele tempo, João Batista pregava, dizendo: “Depois de mim virá alguém mais forte do que eu. Eu nem sou digno de me abaixar para desamarrar suas sandálias. Eu vos batizei com água, mas ele vos batizará com o Espírito Santo”. Naqueles dias, Jesus veio de Nazaré da Galileia, e foi batizado por João no rio Jordão. E logo, ao sair da água, viu o céu se abrindo, e o Espírito, como pomba, descer sobre ele. E do céu veio uma voz: “Tu és o meu Filho amado, em ti ponho meu bem-querer”.

 

REFLEXÃO

“Bom dia, prezados irmãos e irmãs!

A hodierna festa do Batismo do Senhor encerra o tempo do Natal e convida-nos a pensar no nosso batismo. Jesus quis receber o batismo pregado e administrado por João Batista no Jordão. Tratava-se de um batismo de penitência: quantos se aproximavam dele manifestavam o desejo de ser purificados dos pecados e, com a ajuda de Deus, comprometiam-se a encetar uma nova vida.

Então compreendemos a grande  humildade de Jesus, Aquele que não tinha pecado, ao pôr-se em fila com os penitentes, misturando-se entre eles para ser batizado nas águas do rio. Quanta humildade tem Jesus! E, agindo assim, Ele manifestou aquilo que celebramos no Natal: a disponibilidade de Jesus a imergir-se no rio da humanidade, a assumir sobre si as faltas e as debilidades dos homens, a compartilhar o seu desejo de libertação e de superação de tudo o que afasta de Deus e nos torna alheios aos irmãos. Assim como em Belém, também ao longo das margens do Jordão, Deus mantém a promessa de assumir o destino do ser humano, e disto Jesus é o Sinal tangível e definitivo. Ele cuidou de todos nós, cuida de todos nós durante a vida, ao longo dos dias.

O Evangelho de hoje ressalta que Jesus, «no momento em que saía da água… viu abrir-se os céus e descer sobre Ele o Espírito em forma de pomba» (Mc  1, 10). O  Espírito Santo, que tinha agido desde o princípio da criação, guiando Moisés e o povo no deserto, agora desce em plenitude sobre Jesus para lhe infundir a força para cumprir a sua missão no mundo. O Espírito é o artífice do Batismo de Jesus, e também do nosso batismo. Ele abre os olhos do nosso coração para a verdade, para toda a verdade. Impele a nossa vida pela vereda da caridade. Ele é o dom que o Pai ofereceu a cada um de nós no dia do nosso batismo. Ele, o Espírito, transmite-nos a ternura do perdão divino. E é ainda Ele, o Espírito Santo, quem faz ressoar a Palavra reveladora do Pai: «Tu és o meu Filho» (v. 11).

A festa do Batismo de Jesus convida cada cristão a  fazer memória do próprio batismo. Eu não vos posso perguntar, se vos recordais do dia do vosso batismo, porque a maioria de vós éreis crianças, como eu; fomos batizados quando éramos crianças. Mas faço-vos outra pergunta: sabeis a data do vosso batismo? Sabeis em que dia fostes batizados? Cada um pense nisto. E se não souberdes a data, ou se a esquecestes, quando voltardes para casa, perguntai à mãe, à avó, ao tio, à tia, ao avô, ao padrinho, à madrinha: que data? E devemos conservar aquela data sempre na memória, porque se trata de uma data de festa, é o dia da nossa santificação inicial, é a data em que o Pai nos concedeu o Espírito Santo que nos impele a caminhar, é a data do grande perdão. Não vos esqueçais: qual é a data do meu batismo?

Invoquemos a proteção maternal de Maria Santíssima, a fim de que todos os cristãos possam compreender cada vez mais o dom do Batismo e se comprometam a vivê-lo com coerência, dando testemunho do amor do Pai e do Filho e do Espírito Santo.” (Papa Francisco, Angelus, 07 jan 2018)

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s