SAGRADA FAMÍLIA: JESUS, MARIA E JOSÉ

 

“Vieram apressados os pastores e encontraram Maria com José, e o menino deitado no presépio,” Lc 2,16

 

ORAÇÃO

Ó Deus de bondade, que nos destes a Sagrada Família como exemplo, concedei-nos imitar em nossos lares as suas virtudes para que, unidos pelos lações do amor, possamos chegar um dia às alegrias da vossa casa. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. (Oração das Horas)

 

Leituras da liturgia eucarística: 

Primeira Leitura (Eclo 3,3-7.14-17a) 

Leitura do Livro do Eclesiástico:

3Deus honra o pai nos filhos e confirma, sobre eles, a autoridade da mãe.

4Quem honra o seu pai, alcança o perdão dos pecados; evita cometê-los e será ouvido na oração cotidiana. 5Quem respeita a sua mãe é como alguém que ajunta tesouros. 6Quem honra o seu pai, terá alegria com seus próprios filhos; e, no dia em que orar, será atendido. 7Quem respeita o seu pai, terá vida longa, e quem obedece ao pai é o consolo da sua mãe.

14Meu filho, ampara o teu pai na velhice e não lhe causes desgosto enquanto ele vive. 15Mesmo que ele esteja perdendo a lucidez, procura ser compreensivo para com ele; não o humilhes, em nenhum dos dias de sua vida: a caridade feita ao teu pai não será esquecida, 16mas servirá para reparar os teus pecados 17ae, na justiça, será para tua edificação.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial – Salmo 127 (128)

— Felizes os que temem o Senhor e trilham seus caminhos!

— Felizes os que temem o Senhor e trilham seus caminhos!

— Feliz és tu se temes o Senhor/ e trilhas seus caminhos!/ Do trabalho de tuas mãos hás de viver,/ serás feliz, tudo irá bem!

— A tua esposa é uma videira bem fecunda/ no coração da tua casa;/ os teus filhos são rebentos de oliveira/ ao redor de tua mesa.

— Será assim abençoado todo homem/ que teme o Senhor./ O Senhor te abençoe de Sião,/ cada dia de tua vida.

 

Segunda Leitura (Cl 3,12-21)

Leitura da Carta de São Paulo aos Colossenses:

Irmãos: 12Vós sois amados por Deus, sois os seus santos eleitos. Por isso, revesti-vos de sincera misericórdia, bondade, humildade, mansidão e paciência, 13suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos mutuamente, se um tiver queixa contra o outro. Como o Senhor vos perdoou, assim perdoai vós também. 14Mas, sobretudo, amai-vos uns aos outros, pois o amor é o vínculo da perfeição. 15Que a paz de Cristo reine em vossos corações, à qual fostes chamados como membros de um só corpo. E sede agradecidos.

16Que a palavra de Cristo, com toda a sua riqueza, habite em vós. Ensinai e admoestai-vos uns aos outros com toda a sabedoria. Do fundo dos vossos corações, cantai a Deus salmos, hinos e cânticos espirituais, em ação de graças. 17Tudo o que fizerdes, em palavras ou obras, seja feito em nome do Senhor Jesus Cristo. Por meio dele dai graças a Deus, o Pai.

18Esposas, sede solícitas para com vossos maridos, como convém, no Senhor. 19Maridos, amai vossas esposas e não sejais grosseiros com elas. 20Filhos, obedecei em tudo aos vossos pais, pois isso é bom e correto no Senhor. 21Pais, não intimideis os vossos filhos, para que eles não desanimem.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

 

Anúncio do Evangelho (Lc 2,41-52)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós!

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor!

41Os pais de Jesus iam todos os anos a Jerusalém, para a festa da Páscoa. 42Quando ele completou doze anos, subiram para a festa, como de costume. 43Passados os dias da Páscoa, começaram a viagem de volta, mas o menino Jesus ficou em Jerusalém, sem que seus pais o notassem. 44Pensando que ele estivesse na caravana, caminharam um dia inteiro. Depois começaram a procurá-lo entre os parentes e conhecidos. 45Não o tendo encontrado, voltaram para Jerusalém à sua procura. 46Três dias depois, o encontraram no Templo. Estava sentado no meio dos mestres, escutando e fazendo perguntas. 47Todos os que ouviam o menino estavam maravilhados com sua inteligência e suas respostas. 48Ao vê-lo, seus pais ficaram muito admirados e sua mãe lhe disse: “Meu filho, por que agiste assim conosco? Olha que teu pai e eu estávamos, angustiados, à tua procura”. 

49Jesus respondeu: “Por que me procuráveis? Não sabeis que devo estar na casa de meu Pai?”50Eles, porém, não compreenderam as palavras que lhes dissera. 

51Jesus desceu então com seus pais para Nazaré, e era-lhes obediente. Sua mãe, porém, conservava no coração todas estas coisas. 52E Jesus crescia em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e diante dos homens.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

REFLEXÃO 

Caríssimos Irmãos e Irmãs!

  1. Neste Domingo celebramos a festa da Sagrada Família de Nazaré, e é muito significativo que neste ano ocorra no dia seguinte ao Natal e à abertura do Grande Jubileu.

Desejo, portanto, dirigir especiais bons votos às famílias: feliz Natal e bom Ano jubilar a todas vós, famílias de Roma e do mundo inteiro! O Jubileu bimilenário do nascimento de Cristo é de modo particular vosso, porque recorda que Deus quis entrar na história humana através da família.

  1. A festa hodierna oferece-me a ocasião propícia para renovar, no início do Ano Santo 2000, um apelo em favor dos direitos da família, da vida e da infância, reconhecidos também pela Declaração Universal dos Direitos do Homem. Para promover os direitos humanos é, de facto, necessário tutelar os da família, uma vez que é a partir dela que se pode dar uma resposta integral aos desafios do presente e do futuro.

A família é uma comunidade de amor e de vida, que se realiza quando um homem e uma mulher se doam um ao outro totalmente no matrimónio, dispostos a acolher o dom dos filhos. O fundamental direito à vida está inserido no homem desde a concepção, e isto pertence à essência da lei natural e às tradições das grandes religiões, assim como ao espírito do Artigo 3 da Declaração Universal dos Direitos do Homem.

A união entre a mãe e aquele que foi concebido e a insubstituível função do pai requerem que o filho seja acolhido numa família que lhe garanta, na medida do possível, a presença de ambos os genitores. O específico contributo por eles oferecido à família e, através dela, à sociedade, é digno da mais alta consideração.

  1. Hoje, a família necessita de uma especial tutela por parte dos poderes públicos, que não raro são submetidos à pressão de grupos interessados em fazer passar por direito aquilo que, na realidade, é fruto da mentalidade individualista e subjectivista.

“O futuro da humanidade passa pela da família” (Exort. Apost. Familiaris consortio, 86); e a grande família das nações é construída a partir da sua célula mais pequena mas fundamental. Deus ilumine os legisladores, os governantes e toda a pessoa de boa vontade para que promovam a efectiva tutela dos direitos da família, da vida e da infância.

Nisto, ajude-nos a Sagrada Família de Nazaré, que acolheu e ajudou o Redentor do mundo a crescer. (Papa São JOÃO PAULO II, Festa da Sagrada Família, ANGELUS, 26 de Dezembro de 1999)

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s